Hábitos “informáticos”


Opa!!

Quando pensamos em sistemas, lembramos dos que atendem nossas necessidades “básicas”. Aquele programinha que faz aquilo que o outro não faz… Aquele sistema operacional em que podemos customizar e deixar com a cara que queremos…

Enfim… Acho realmente que sistemas operacionais e softwares tem muito de hábitos…

Utilizei Windows por um longo período, e estou utilizando-o enquando redijo este texto. Porém, não é de longe meu sistema operacional favorito. Os que me conhecem sabem que não abro mão do Ubuntu…
Mas é tudo questão de adaptabilidade… Vou exemplificar com minha esposa!!

Quando ela me conheceu, nunca tinha utilizado um computador para outro fim que não redigir textos no Word, acessar seu webmail utilizando o Internet Explorer, ouvir músicas com o Media Player etc…
Então, em minha casa, minha máquina sempre era dualboot com Ubuntu e Windows… Uma parcela disto também vinha de mim, pois afinal como ela mesmo diz, eu sou viciado em jogos e os jogos que eu gosto infelizmente só rodam legal no Windows mesmo… Mas isto é outro ponto 😉

Quando meu “super computador” queimou todinho 😦 eu tive que arrumar um velho que estava parado aqui na empresa que trabalho (porque já era obsoleto demais) para deixar em casa afim de verificar meus e-mails, conversar com minha irmã que mora fora etc…

Eis que o computador com 1gb de ram mal mal rodava o XP… Então, tomei a decisão, que acredito ter sido a mais sábia no momento!

Vou instalar apenas o Ubuntu e folhas!!!
E foi o que fiz. Baixei o cd na firma e instalei na lata velha 😛
Rodou que foi uma beleza… No começo, minha esposa rejeitou e foi taxativa!
Pode comprar outro computador ou então instalar o Windows porque eu não sei mexer nesse negócio aí não!

Aí expliquei, olha não vai rolar… Vai ter que aprender a mexer nesse “negócio” aí!!

E com o tempo, ela me fritando para saber como entrar na internet, afinal, usuários que são apenas usuários, não sabem que a internet não se resume ao Internet Explorer ( que no meu ponto de vista, utiliza este nome por esperteza ) e que ele é apenas um navegador como tantos outros disponíveis no mercado e de graça e muito, mas muito melhores que o mesmo.

Tive que ensina-la que o Internet Explorer não era a solução dos seus problemas e que havia o Firefox ou o Chrome que faria a mesma tarefa de maneira melhor etc…

Com um pouco de tempo e cedendo à resistência, ela começou a se acostumar com o Firefox e com o Chrome e gostou. Achou muito melhor o sistema de abas (que não havia ainda nas versões anteriores do IE), leveza, rapidez para abrir os sites etc…
Pouco tempo depois, a bronca foi para ouvir músicas.
Ahhh … Esse trem não abre as músicas… Fica abrindo um tal de Tottem que é uma bos!#@!#$#@!!!

Novamente mostrei que haviam ótimas alternativas ao Media Player como o Amarok, Exaile, Banshee e outros que não sei como escrever o nome… Também com o passar do tempo, ela foi mexendo e aprendendo que os players disponíveis tinham ótimos recursos e alguns que não haviam no MP…
E ela gostou muito disto!

Depois a reclamação foi quanto aos jogos… Lembrando que jogos realmente jogos sou só eu que jogo… Ela joga paciência 😛

Mostrei a ela a variedade de jogos disponíveis e ela ficou muito satisfeita.

Alguns meses depois, eu comprei outra “super máquina” e fiz novamente o dualboot… Já deixando o Windows como padrão acreditando que ao ver o ícone do iniciar, ela se sentiria de volta ao paraíso!
Grata surpresa foi quando ela me ligou!!

Aqui,  o que você fez no computador que agora ele entra nesse troço aqui!
E eu respondi: “Uai amor, é o Windows… Deixei aí porque…” e ela me interrompeu!
Olha, quando você chegar em casa pode colocar de volta o linux porque esse windows é muito ruim, eu não sei mais mexer nesse negócio!

Eu fiquei feliz e tirei algumas conclusões à respeito!

  1. O uso de um sistema operacional tem muito sim de hábitos! A grande maioria dos que criticam o Linux por ser complicado, feio, estranho, tem que digitar muito é porque realmente já estão acostumados ao Windows e isto não é totalmente culpa deles.
    Acredito que a mudança é algo que pode ser realmente traumático quando não se tem algum tipo de suporte ou acessoria como eu fui para a minha esposa. Sei que muitas informações sobre tudo que envolve o linux e sua utilização podem ser encontradas facilmente utilizando o Google… Mas temos que lembrar que estamos falando de usuários e não de nós (programadores –> garotos de programa 😛 ). Se você freqüenta algum tipo de lista de discussão avançada, seja de desenvolvimento ou até mesmo de suporte poderá ver que até mesmo usuários já tarimbados não sabem como perguntar ao Google, e por isto fazem perguntas as quais temos diversas respostas já postadas, explicadas etc … Então, acho que isto é um ponto que precisa ser realmente melhorado.
  2. Softwares também em muitas das vezes, salvo em casos de incompatibilidades são questão de costume. Aqui onde eu trabalho, tenho um exemplo clássico … A utilização do Money… Quantos e quantos programas existem com esta finalidade para Linux… Mas o que acontece é que os dados já inseridos não podem ser importados. O usuário já se acostumou com a interface e não quer aprender algo novo de novo!
    Enfim, para não dizer que tudo tem algo similar, quase tudo tem! Você pode encontrar ferramentas que fazem o mesmo trabalho mas de maneiras diferentes em Linux para quase tudo o que você precisa fazer 😉
  3. Os programas do Linux são piores dos que os que eu utilizo! Nada funciona… Tudo é mais complicado…
    Ora, isto é clássico para mim também. Temos que lembrar que as ferramentas disponíveis para Linux de um modo geral são livres. Você pode escolher faze uma doação, mas isto não é obrigatório (eu nunca doei p#!@#2 nenhuma por exemplo!)
    As pessoas envolvidas tem emprego, família, vida…
    Ou seja, nem sempre estão disponíveis para efetuar alterações/correções na velocidade das que estão envolvidas com ferramentas pagas, pois afinal, as ferramentas pagas são feitas para gerar receita e atender à demandas 😉 Então, o mínimo que se pode esperar destas ferramentas é que elas ofereçam realmente um suporte digno, bem prestado e um ótimo funcionamento.
    Novamente quanto aos programas para Linux, acho que tudo é realmente questão de costume.
  4. A quarta consideração é simples… Quem paga as contas sou eu, mas quem manda lá em casa é a dona maria!!

 

Abraços a todos que tiveram paciência para ler este gigantesco texto que não mudará o mundo!! 😉

 

2 Respostas to “Hábitos “informáticos””

  1. Ow pinguela! Fantástica sua trajetória, eu tenho uma supermáquina na minha casa também, porém, foi na marra que tive que colocar o Linux, porque minha Dona Maria não queria saber de linux de jeito nenhum, segundo ela, não queria aprender uma coisa que se fosse usar no futuro não valeria para nada, aí eu fiquei irritado e removi o dual boot, tenho 1 tera de HD só para meu saudoso linux, e te digo, o novo Ubuntu é o sistema operativo mais bonito que já vi, e quem diz que é feio é melhor se acostumar. Lá em casa quem paga as contas sou eu e quem manda também sou eu. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: